quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Sorbet de Morango



Dos momentos da vida que mais sinto falta são dos anos que passei em Ville de Québec. 
Sinto saudade da arquitetura, da cultura, da comida, das ruas, do céu, do ar, das paisagens, das pessoas. Sinto saudade dos momentos que lá vivi, sinto saudade dos passeios que fiz. Sinto saudade do Brunch de Domingo, sinto saudade das cores de outono. Sinto saudade das tulipas e do verde das árvores na primavera. Sinto saudades dos passeios no parque durante o inverno, de ver as ruas cobertas de neve fofa. Sinto saudade do verão. Sinto saudade do idioma, sinto saudade dos sons e cheiros. Sinto saudade dos morangos. 

O verão em Québec é especial. É difícil explicar, mas lá o verão tinha mais vida, tinha mais cores. Os morangos eram um dos pontos altos do verão. Ir à Île d'Orléans e colher os melhores morangos que já provei, era um dos meus passeios favoritos. Se fechar os olhos consigo sentir o aroma dos campos de morangos. Quanta recordação boa eu guardo desses anos!

Aqui também encontrei bons morangos. Não como os de lá. Mas suficientemente bons me render aos prazeres dessa receita do Pierre Hermé. É um sorbet de morangos que me transporta novamente para aqueles dias quentes nas fazendinhas, é um sorbet com um gosto intenso de morango, com a textura ideal. É um sorbet que vai deixar saudade durante os longos meses de inverno que estão para chegar. 

Beijos para vocês!




Tempo de preparo: 10 Minutos
Rendimento: 1lt 

Ingredientes

1kg de morangos bem maduros, lavados
165g de açúcar cristal
18g de suco de limão siciliano

Modo de preparo

  1. Bata os morangos no liquidificador e transfira para um bowl. Acrescente o açúcar e o suco de limão e misture. Leve à geladeira por mais ou menos 30 minutos, mexendo de vez em quando para o açúcar se dissolver bem.
  2. Após os 30 minutos, transfira o preparo para a sorveteira e siga as instruções do fabricante.

Bon appétit!

Dicas:
  • Use morangos bem maduros.
  • Antes de servir, deixe uns 20 minutos na geladeira para que o sorbet atinja a textura ideal para ser servido.
  • Essa receita aceita bem variações. Você pode substituir os morangos por framboesas ou mirtilos, ou talvez uma combinação dos três.
  • Eu também preparei picolés, seguindo as mesmas instruções. Depois de pronto na sorveteira, coloquei nas forminhas de picolé. Ficaram perfeitos! Até gostei mais de comer em formato de picolé.

quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Vieiras Grelhadas com Velouté de Ervilhas e Menta



Dias atrás estava sozinha com a Praliné em casa. Amore havia saído bem cedinho com os amigos para pedalar e eu sabia que ele não voltaria a tempo para o almoço. Como sempre, eu não consegui ficar muito tempo na cama. Sou daquelas que pensa que dormir muito no final de semana é perder um tempo precioso. Não vou nem tentar argumentar se é melhor ou pior do que quem prefere dedicar as horas do seu sábado ou domingo para dormir muito. Eu não acho que há certo ou errado, há apenas o que funciona para cada um. E para mim, se durmo muito no fim de semana, fico culpada em não ter usado meu tempo de forma diferente...coisas da minha cabeça. 

Bom, mas voltando ao meu domingo de manhã. Acordei por  volta das 7:30 e como sempre comecei minha manhã bem tranquilamente. Não tinha nada programado para aquele dia, também não tinha intenção de cozinhar ou mesmo pensar no que faria para o almoço, queria apenas ficar com a Praliné e colocar a leitura em dia. Passamos a manhã no jardim, eu com minha xícara de chá e um livro e ela na sua constante saga em perseguir qualquer bicho que aparece por aqui. Adoro passar esse tempinho com ela. A Pralie sempre foi super companheira e onde quer que eu esteja, ela está junto comigo. Amo demais essa cachorrinha!



Então voltando ao assunto desse blog, comida! Olhei para o relógio e eram 11:30, a fome havia começado a apertar e minha vontade de sair de casa para almoçar fora era nula. Resolvi olhar na geladeira para ver se havia algo fresco e leve para aquele domingo quente de verão. E tinha. Na minha visita semanal ao Farmers Market, comprei vieiras para o jantar que não fiz no dia anterior. Também havia ervilhas frescas, e como não consigo preparar ervilhas sem hortelã, corri no meu jardim e colhi um pouco de hortelã. 15 minutos depois meu almoço estava pronto. Comi ao ar livre, acompanhada da minha adorável cachorrinha e de uma taça de um bom vinho rosé. Foi um almoço leve, delicioso e que não me tomou tempo nenhum para preparar. 
Logo depois limpei a cozinha, me servi de mais uma taça de vinho e voltei para o jardim com a Praliné. Ali ficamos até o Amore voltar. Então voltamos para dentro de casa, conversei rapidamente com o Amore e dormi por 1 hora. Mas dessa vez não achei que foi desperdício do meu tempo. Era o que eu precisava. Foi apenas perfeito!

Beijos para vocês!



Tempo de preparo: 15 minutos
Rendimento: 2 porções

Ingredientes

1 fatia de bacon (opcional)
10 vieiras frescas
1 colher (sopa) de azeite de oliva
1/2 colher (sopa) de manteiga
Sal e Pimenta à gosto

Ingredientes para o velouté de ervilhas

2 xícaras de ervilhas (pode ser congelada também)
2 colheres (sopa) de hortelã picadinho
Suco de 1/2 limão siciliano
Sal e Pimenta do reino à gosto
Azeite de oliva extra-virgem para finalizar

Modo de preparo

  1. Para o velouté. Cozinha as ervilhas em água fervente e salgada por mais ou menos 4 minutos. Desligue o fogo e transfira as ervilhas com apenas 1 xícara da água do cozimento ao liquidificador. Adicione o hortelã e bata até que fique homogêneo. Adicione o suco de limão aos poucos, vá provando para saber o teor de acidez que você procura. Corrija os temperos e reserve.
  2.  Aqueça uma frigideira em fogo médio-alto e doure o bacon. Reserve o bacon.
  3. Na mesma frigideira, adicione o azeite e a manteiga. Doure as vieiras do dois lados, tomando cuidado para não cozinhar demais. Acho que foram uns 2-3 minutos de cada lado para mim, mas isso vai depender do tamanho das vieiras que você tiver. 
  4. Sirva as vieiras sob o velouté em um prato fundo. Decore com o bacon e folhas de hortelã. Finalize com azeite de oliva e voilà, um prato delicioso, bonito e elegante em menos de 15 minutos!
Bon appétit!




quarta-feira, 28 de agosto de 2019

Sorvete de Queijo de Cabra com Mel de Tomilho



Inconvencional. Eu? Talvez. Gosto de pensar que é um elogio quando escuto isso. Mas o fato é que não me importo muito. Dessa cozinha que sai de feijão tropeiro à fois gras, não tento rotular o que faço, pois gosto de explorar o novo, fico inspirada pelo desconhecido, mas volto às raízes frequentemente. 
Acho que o que exemplifica mais o que estou tentando dizer são os sorvetes que tenho feito por aqui. De um clássico sorvete de chocolate à um surpreendente sorvete de açafrão e água de rosas, eu encontrei espaço para todos. No entanto, no meu coração e memória ficou esse sorvete de queijo de cabra. Receita do talentoso David Lebovitz que eu adaptei levemente, apenas buscando o balanço perfeito com os ingredientes que tinha disponível. A textura é inigualável; é ácido, mas é cremoso, é doce, mas tem aquele toque savoury que deixa a experiência muito mais interessante; o mel com tomilho por outro lado contrasta com o queijo equilibrando os sabores maravilhosamente bem! Acho que seria um acompanhamento perfeito para um bolo quente de pêras, ou acompanhado de figos assados. É um sorvete surpreendente e "inconvencional", se assim quiser o classificar. Mas para mim ele tem apenas um adjetivo: Perfeito! 



Tempo de preparo: 10 minutos
Tempo de descanso: 3 horas
Rendimento: 750ml

Ingredientes para o sorvete

375ml (1 e 1/2 xícara) de leite integral
130g (2/3 xícara) de açúcar
230g de queijo de cabra fresco
6 gemas de ovo
Suco de limão à gosto 

Ingredientes para o mel

1/2 xícara de mel de acácia
6 ramos de tomilho fresco

Modo de preparo

  1. Para o sorvete: Prepare um creme inglês. Em uma panela aqueça o leite em fogo médio, não deixe ferver. Em uma tigela, bata as gemas e o açúcar até obter um creme levemente esbranquiçado. Despeje lentamente o leite quente sobre as gemas, batendo constantemente para que as gemas não cozinhe. Transfira o preparo para a panela e leve ao fogo médio-baixo mexendo constantemente até que a misture engrosse levemente, cobrindo a colher de pau (ou espátula). Retire do fogo e acrescente o queijo de cabra, misture até o queijo derreter por completo. Deixe a mistura esfriar completamente, adicione o suco de limão (comece com 1 colher de chá) e vá testando até equilibrar os sabores...como eu gosto mais ácido, eu usei 1 e 1/2 colher chá de suco de limão. Leve à mistura à geladeira por pelo menos 2-3 horas (eu fiz de um dia para o outro). 
  2. Depois do tempo de geladeira, transfira a mistura para a sorveteira e siga as instruções do fabricante. Depois de pronto, transfira para um recipiente e leve ao congelador por umas 2 horas antes de servir.
  3. Para o mel: leve o mel e o tomilho ao fogo baixo até o mel começar a levantar fervura. Desligue o fogo e deixe descansando até os sabores se misturarem bem.
Sirva o sorvete acompanhado do mel.

Bon appétit!



terça-feira, 20 de agosto de 2019

Tian Provençal



Sou uma moça do campo. Acho que sempre fui. Sou uma moça que gosta de verde, ar puro, árvores frutíferas, o passo lento de cidades de interior, fazenda, sabores ácidos, queijo de cabra, Pinot Noir, cheiro de terra molhada, picnic, primavera e temperaturas amenas. 
Não sou uma moça de verão, nunca fui. Mas o verão por aqui tem outro significado, ele me ensinou a valorizar outros aspectos que no Brasil eram pris pour acquis, ou seja eram parte da vida quotidiana. Os dias longos que se sustentam, a brisa após um dia longo de calor, a abundância dos ingredientes; e claro, as abobrinhas e os tomates. Esses são, depois das berries, a minha parte favorita to verão. A natureza nos presenteando!

Das outras delícias do verão são os Farmers Markets da região. O contato com o produtor, a possibilidade de comprar o ingrediente frescos, recém colhidos, exalando toda sua beleza...esse sim é o meu tipo de verão. E foi numa dessas idas à uma das feiras da região que me deparei com tomates, de um vermelho intenso e de um aroma irresistível. Foram para a minha cesta. Na mesma banca encontrei abobrinhas amarelas e verdes, tinham sido colhidas na mesma manhã. As berinjelas meticulosamente organizadas sob um caixote de madeira também me conquistaram. A réstia de alho me chamou a atenção na banca ao lado e não resisti, trouxe uma para casa. Os pães da minha boulangerie favorita na região, sendo assados ali na hora, inebriaram toda a feira com aquele cheiro inconfundível de pão assando, não havia outra opção a não ser me render ao prazer de poder trazer 2 pains de campagne para casa. 
Então sem perceber e sem planejar, meu almoço já havia sido desenhado. Vegetais tão frescos não mereciam ser esquecidos no balcão da cozinha, eles mereciam serem assados lentamente, banhados em azeite extra virgem e ervas frescas, liberando aquele aroma de comida de fazenda, da comida que comi no Sul da França e que me inspira diariamente. Eles foram transformados nesse Tian. 



O Tian na verdade é o nome do refratário onde os vegetais são assados, mas no Sul da França é assim que eles chamam esse preparo, onde abobrinhas, berinjelas, cebola e tomates são assados lentamente até que os sabores se misturem. É sem dúvida um dos melhores pratos que saiu da minha cozinha nos últimos meses. De almoço foi servido o Tian com cordeiro grelhado e fatias generosas do pão que havia comprado pela manhã. À noite, preparei uma bruschetta com o que sobrou do almoço e posso garantir que estava melhor ainda! Esse é um daqueles pratos que melhoram com o tempo, é definitivamente algo que vai aparecer muitas e muitas vezes por aqui!

E vocês, qual a estação que mais gostam?

Beijos para vocês!



Tempo de preparo: 20 Minutos
Tempo de forno: Aproximadamente 90 minutos
Rendimento: 4 Porções 

Ingredientes

4 dentes de alho grande, fatiados finamente
4 tomates frescos bem maduros
2 abobrinhas (eu usei verde e amarela)
1 berinjela
2 cebolas pequenas
Azeite de oliva extra virgem (eu usei uns 130ml)
Ervas frescas picadas (eu usei: Tomilho fresco, Alecrim Fresco, Orégano Fresco)
Sal e pimenta do reino a gosto
Queijo de cabra para finalizar
Fatias de pão para servir

Modo de preparo

  1. Pré aqueça o forno a 200ºC. Unte um refratário com mais ou menos umas 2 colheres (sopa) de azeite, distribua metade do alho e metade das ervas. Tempere generosamente com sal e pimenta.
  2. Fatie os vegetais (aproximadamente 1/2cm de espessura). Tente escolher vegetais que tenham mais ou menos o mesmo diâmetro, dessa forma eles ficarão bem alinhados no refratário. Se não encontrar, não tem problema, a beleza desse prato também vem do fato de ser bem rústico. 
  3. Distribua os vegetais no refratário, arrumando de forma que eles fiquem bem apertados. É necessário que fiquem bem juntinhos, pois durante o cozimento, eles perdem bastante líquido e acabam perdendo volume. 
  4. Tempere novamente generosamente com sal e pimenta e regue com azeite de oliva extra-virgem (Acho que eu usei em torno de 1/2 xícara...mas aqui vai ao gosto de cada um, viu?). Distribua o restante do alho e das ervas sobre os vegetais. Coloque o refratário sob uma outra forma (Caso borbulhe no forno...você não vai querer limpar a bagunça depois) e leve ao forno por mais ou menos uns 90 minutos.
  5. Retire do forno e deixe descansar por uns 5-10 minutos, coloque os pedaços de queijo de cabra por cima e sirva com as fatias de pão ligeiramente tostadas. Parfait! 
Bon Appétit!

Dicas:

  • Eu coloquei as medidas aproximadas. Aqui não tem muita receita, você pode usar mais ou menos de todos os vegetais, vai da preferência de cada um. 
  • Use um azeite de bastante qualidade, vai fazer toda a diferença.
  • Eu aconselho servir o prato com um pão mais robusto, desses de casca mais grossa. Dessa forma os sucos do Tian vão ser absorvidos pelo pão.
  • Vocês podem omitir o queijo de cabra, mas eu acho que traz um toque todo especial...e eu adoro queijo de cabra, então sou suspeita para falar :)
  • O Tian se conserva bem na geladeira por uns 2 dias...apesar de achar que não vai sobrar nada...aqui não durou nem 1 dia inteiro. 

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Torta de Pêssegos e Framboesas com Mousse de Cream Cheese



É verão para mim quando os morangos vermelhos e aromáticos brotam. As framboesas vêm em seguida, os mirtilos não tardam a aparecer...mas os pêssegos, ah esses são os mais esperados por essa cozinheira que vos fala. Pêssegos carnudos, firmes e suculentos. O aroma inconfundível desse fruto sempre abre para a mim a temporada de frutas assadas. Por que sim, eu sempre compro mais pêssegos do que consigo consumir, então é inevitável não ter que inventar várias formas de prepará-los. 

Foi assim que a idéia dessa torta surgiu. Haviam tantos pêssegos maduros na minha fruteira que eu decidi fazer uma geléia, então tinha muita geléia e resolvi fazer uma torta. Uma torta deliciosa, com diversas camadas e texturas, de sabor leve e perfeita para finalizar um almoço que ofereci à alguns amigos. Uma forma de celebrar o verão e a abundância de frutas e sabores que essa estação nos presenteia!

Beijos para vocês e boa semana!



Tempo de preparo: 40 minutos
Tempo de forno: Aproximadamente 25 minutos
Tempo de descanso da massa: Pelo menos 2h30
Tempo de descanso da massa da torta e mousse de cream cheese: 1 noite
Rendimento: 8 porções (Ou uma forma de 25cm de diâmetro)


Ingredientes para a massa (Jacques Genin)

175g de manteiga sem sal, em temperatura ambiente
125g de açúcar de confeiteiro
30g de farinha de amêndoas 
60g de ovo (Mais ou menos um ovo grande)
1 pitada de sal
1/2 fava de baunilha
310g de farinha de trigo
1 gema

Ingredientes para o frangipane de amêndoas e framboesas (Cyril Lignac)

150g de farinha de amêndoas
15g de amido de milho
120g de açúcar de confeiteiro
15g de rhum
90g de ovos ligeiramente batidos
120g de manteiga sem sal, em temperatura ambiente
1 punhado de framboesas frescas

Ingredientes para o mousse de cream cheese

150g de cream cheese em temperatura ambiente
30g de açúcar de confeiteiro
1 colher (chá) de pasta de baunilha
1/2 colher (chá) de suco de limão
125ml de creme de leite fresco
1 colher (chá) de gelatina em pó 
5 colheres (chá) de água (para hidratar a gelatina)

Ingredientes para a geléia de pêssegos (Vai sobrar bastante, usa-se mais ou menos 1/4 da geléia na torta)

1kg de pêssegos frescos cortados em cubos (sem a pele)
375g de açúcar
Suco de meio limão

Para decorar
Pêssegos, Morangos e framboesas frescas

Modo de preparo
  1. Comece pela massa da torta. Leve à batedeira a manteiga em temperatura ambiente, o açúcar, o sal, a farinha de amêndoas e a fava de baunilha. Bata com o auxilio do batedor em forma de folha por mais ou menos 2 minutos. Acrescente o ovo, bata rapidamente para incorporar e então acrescente a farinha. Bata apenas até que a farinha incorpore, não bata muito, você não pode desenvolver o glúten da massa. Forme um disco de massa e cubra com papel filme. Leve a geladeira por pelo menos 2 horas, o ideal é uma noite.
  2. Depois do período de descanso, abra a massa e cubra o fundo e as laterais de uma forma com fundo removível (Mais ou menos 25cm). Fure o fundo com a ajuda de um garfo e retorne à geladeira por pelo menos 30 minutos.
  3. Prepare o mousse. Hidrate a gelatina na água. Na batedeira bata o cream cheese, o açúcar, a baunilha e o limão até obter um creme fofo. Derreta a gelatina e incorpore ao creme. Reserve. Bata o creme de leite até obter picos firmes. Agregue o creme de leite batido ao creme reservado. Transfira para um aro de mais ou menos 22cm e leve ao congelador por uma noite.
  4. Prepare a geléia. Leve ao fogo todos os ingredientes, cozinhe em fogo baixo até atingir 103ºC. Durante o processo, retire a espuma que forma na geléia. Transfira a geléia para potes esterilizados. Reserve na geladeira.
  5. Prepare o frangipane. Na batedeira, com o auxílio do batedor tipo folha, bata a manteiga rapidamente, acrescente a farinha de amêndoas, o amido de milho e o açúcar de confeiteiro, bata em velocidade baixa até incorporar, acrescente os ovos aos poucos e finalize com o rhum. Reserve.
  6. Pré aqueça o forno a 170ºC, forre o fundo e as laterais de uma forma de torta, com abas baixas (mais ou menos uns 23cm). A massa vai ser suficiente para 1 torta e meia, então você pode congelar o restante e usar num preparo futuro. Cubra ao fundo da torta com o creme de amêndoas, disponha as framboesas frescas e leve ao forno pré aquecido por mais ou menos 20-25 minutos, ou até que o fundo da torta esteja assado e as laterais douradas. Retire do forno e deixe esfriar. 
  7. Para a montagem. Depois de fria, espalhe uma camada fina de geléia sobre o frangipane. Desenforme o mousse e disponha sobre a torta e decore com os pêssegos cortados e as framboesas.
  8. Leve à geladeira até a hora de servir.

Bon appétit!


Dicas:

  1. A geléia dura até 3 semanas se bem refrigerada.
  2. O restante da massa pode ser congelado por até 2 meses.
  3. Se não tiver framboesas frescas, mirtilos ou morangos também são excelentes opções.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...