quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Sorbet de Morango



Dos momentos da vida que mais sinto falta são dos anos que passei em Ville de Québec. 
Sinto saudade da arquitetura, da cultura, da comida, das ruas, do céu, do ar, das paisagens, das pessoas. Sinto saudade dos momentos que lá vivi, sinto saudade dos passeios que fiz. Sinto saudade do Brunch de Domingo, sinto saudade das cores de outono. Sinto saudade das tulipas e do verde das árvores na primavera. Sinto saudades dos passeios no parque durante o inverno, de ver as ruas cobertas de neve fofa. Sinto saudade do verão. Sinto saudade do idioma, sinto saudade dos sons e cheiros. Sinto saudade dos morangos. 

O verão em Québec é especial. É difícil explicar, mas lá o verão tinha mais vida, tinha mais cores. Os morangos eram um dos pontos altos do verão. Ir à Île d'Orléans e colher os melhores morangos que já provei, era um dos meus passeios favoritos. Se fechar os olhos consigo sentir o aroma dos campos de morangos. Quanta recordação boa eu guardo desses anos!

Aqui também encontrei bons morangos. Não como os de lá. Mas suficientemente bons me render aos prazeres dessa receita do Pierre Hermé. É um sorbet de morangos que me transporta novamente para aqueles dias quentes nas fazendinhas, é um sorbet com um gosto intenso de morango, com a textura ideal. É um sorbet que vai deixar saudade durante os longos meses de inverno que estão para chegar. 

Beijos para vocês!




Tempo de preparo: 10 Minutos
Rendimento: 1lt 

Ingredientes

1kg de morangos bem maduros, lavados
165g de açúcar cristal
18g de suco de limão siciliano

Modo de preparo

  1. Bata os morangos no liquidificador e transfira para um bowl. Acrescente o açúcar e o suco de limão e misture. Leve à geladeira por mais ou menos 30 minutos, mexendo de vez em quando para o açúcar se dissolver bem.
  2. Após os 30 minutos, transfira o preparo para a sorveteira e siga as instruções do fabricante.

Bon appétit!

Dicas:
  • Use morangos bem maduros.
  • Antes de servir, deixe uns 20 minutos na geladeira para que o sorbet atinja a textura ideal para ser servido.
  • Essa receita aceita bem variações. Você pode substituir os morangos por framboesas ou mirtilos, ou talvez uma combinação dos três.
  • Eu também preparei picolés, seguindo as mesmas instruções. Depois de pronto na sorveteira, coloquei nas forminhas de picolé. Ficaram perfeitos! Até gostei mais de comer em formato de picolé.

quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Vieiras Grelhadas com Velouté de Ervilhas e Menta



Dias atrás estava sozinha com a Praliné em casa. Amore havia saído bem cedinho com os amigos para pedalar e eu sabia que ele não voltaria a tempo para o almoço. Como sempre, eu não consegui ficar muito tempo na cama. Sou daquelas que pensa que dormir muito no final de semana é perder um tempo precioso. Não vou nem tentar argumentar se é melhor ou pior do que quem prefere dedicar as horas do seu sábado ou domingo para dormir muito. Eu não acho que há certo ou errado, há apenas o que funciona para cada um. E para mim, se durmo muito no fim de semana, fico culpada em não ter usado meu tempo de forma diferente...coisas da minha cabeça. 

Bom, mas voltando ao meu domingo de manhã. Acordei por  volta das 7:30 e como sempre comecei minha manhã bem tranquilamente. Não tinha nada programado para aquele dia, também não tinha intenção de cozinhar ou mesmo pensar no que faria para o almoço, queria apenas ficar com a Praliné e colocar a leitura em dia. Passamos a manhã no jardim, eu com minha xícara de chá e um livro e ela na sua constante saga em perseguir qualquer bicho que aparece por aqui. Adoro passar esse tempinho com ela. A Pralie sempre foi super companheira e onde quer que eu esteja, ela está junto comigo. Amo demais essa cachorrinha!



Então voltando ao assunto desse blog, comida! Olhei para o relógio e eram 11:30, a fome havia começado a apertar e minha vontade de sair de casa para almoçar fora era nula. Resolvi olhar na geladeira para ver se havia algo fresco e leve para aquele domingo quente de verão. E tinha. Na minha visita semanal ao Farmers Market, comprei vieiras para o jantar que não fiz no dia anterior. Também havia ervilhas frescas, e como não consigo preparar ervilhas sem hortelã, corri no meu jardim e colhi um pouco de hortelã. 15 minutos depois meu almoço estava pronto. Comi ao ar livre, acompanhada da minha adorável cachorrinha e de uma taça de um bom vinho rosé. Foi um almoço leve, delicioso e que não me tomou tempo nenhum para preparar. 
Logo depois limpei a cozinha, me servi de mais uma taça de vinho e voltei para o jardim com a Praliné. Ali ficamos até o Amore voltar. Então voltamos para dentro de casa, conversei rapidamente com o Amore e dormi por 1 hora. Mas dessa vez não achei que foi desperdício do meu tempo. Era o que eu precisava. Foi apenas perfeito!

Beijos para vocês!



Tempo de preparo: 15 minutos
Rendimento: 2 porções

Ingredientes

1 fatia de bacon (opcional)
10 vieiras frescas
1 colher (sopa) de azeite de oliva
1/2 colher (sopa) de manteiga
Sal e Pimenta à gosto

Ingredientes para o velouté de ervilhas

2 xícaras de ervilhas (pode ser congelada também)
2 colheres (sopa) de hortelã picadinho
Suco de 1/2 limão siciliano
Sal e Pimenta do reino à gosto
Azeite de oliva extra-virgem para finalizar

Modo de preparo

  1. Para o velouté. Cozinha as ervilhas em água fervente e salgada por mais ou menos 4 minutos. Desligue o fogo e transfira as ervilhas com apenas 1 xícara da água do cozimento ao liquidificador. Adicione o hortelã e bata até que fique homogêneo. Adicione o suco de limão aos poucos, vá provando para saber o teor de acidez que você procura. Corrija os temperos e reserve.
  2.  Aqueça uma frigideira em fogo médio-alto e doure o bacon. Reserve o bacon.
  3. Na mesma frigideira, adicione o azeite e a manteiga. Doure as vieiras do dois lados, tomando cuidado para não cozinhar demais. Acho que foram uns 2-3 minutos de cada lado para mim, mas isso vai depender do tamanho das vieiras que você tiver. 
  4. Sirva as vieiras sob o velouté em um prato fundo. Decore com o bacon e folhas de hortelã. Finalize com azeite de oliva e voilà, um prato delicioso, bonito e elegante em menos de 15 minutos!
Bon appétit!




quarta-feira, 28 de agosto de 2019

Sorvete de Queijo de Cabra com Mel de Tomilho



Inconvencional. Eu? Talvez. Gosto de pensar que é um elogio quando escuto isso. Mas o fato é que não me importo muito. Dessa cozinha que sai de feijão tropeiro à fois gras, não tento rotular o que faço, pois gosto de explorar o novo, fico inspirada pelo desconhecido, mas volto às raízes frequentemente. 
Acho que o que exemplifica mais o que estou tentando dizer são os sorvetes que tenho feito por aqui. De um clássico sorvete de chocolate à um surpreendente sorvete de açafrão e água de rosas, eu encontrei espaço para todos. No entanto, no meu coração e memória ficou esse sorvete de queijo de cabra. Receita do talentoso David Lebovitz que eu adaptei levemente, apenas buscando o balanço perfeito com os ingredientes que tinha disponível. A textura é inigualável; é ácido, mas é cremoso, é doce, mas tem aquele toque savoury que deixa a experiência muito mais interessante; o mel com tomilho por outro lado contrasta com o queijo equilibrando os sabores maravilhosamente bem! Acho que seria um acompanhamento perfeito para um bolo quente de pêras, ou acompanhado de figos assados. É um sorvete surpreendente e "inconvencional", se assim quiser o classificar. Mas para mim ele tem apenas um adjetivo: Perfeito! 



Tempo de preparo: 10 minutos
Tempo de descanso: 3 horas
Rendimento: 750ml

Ingredientes para o sorvete

375ml (1 e 1/2 xícara) de leite integral
130g (2/3 xícara) de açúcar
230g de queijo de cabra fresco
6 gemas de ovo
Suco de limão à gosto 

Ingredientes para o mel

1/2 xícara de mel de acácia
6 ramos de tomilho fresco

Modo de preparo

  1. Para o sorvete: Prepare um creme inglês. Em uma panela aqueça o leite em fogo médio, não deixe ferver. Em uma tigela, bata as gemas e o açúcar até obter um creme levemente esbranquiçado. Despeje lentamente o leite quente sobre as gemas, batendo constantemente para que as gemas não cozinhe. Transfira o preparo para a panela e leve ao fogo médio-baixo mexendo constantemente até que a misture engrosse levemente, cobrindo a colher de pau (ou espátula). Retire do fogo e acrescente o queijo de cabra, misture até o queijo derreter por completo. Deixe a mistura esfriar completamente, adicione o suco de limão (comece com 1 colher de chá) e vá testando até equilibrar os sabores...como eu gosto mais ácido, eu usei 1 e 1/2 colher chá de suco de limão. Leve à mistura à geladeira por pelo menos 2-3 horas (eu fiz de um dia para o outro). 
  2. Depois do tempo de geladeira, transfira a mistura para a sorveteira e siga as instruções do fabricante. Depois de pronto, transfira para um recipiente e leve ao congelador por umas 2 horas antes de servir.
  3. Para o mel: leve o mel e o tomilho ao fogo baixo até o mel começar a levantar fervura. Desligue o fogo e deixe descansando até os sabores se misturarem bem.
Sirva o sorvete acompanhado do mel.

Bon appétit!



terça-feira, 20 de agosto de 2019

Tian Provençal



Sou uma moça do campo. Acho que sempre fui. Sou uma moça que gosta de verde, ar puro, árvores frutíferas, o passo lento de cidades de interior, fazenda, sabores ácidos, queijo de cabra, Pinot Noir, cheiro de terra molhada, picnic, primavera e temperaturas amenas. 
Não sou uma moça de verão, nunca fui. Mas o verão por aqui tem outro significado, ele me ensinou a valorizar outros aspectos que no Brasil eram pris pour acquis, ou seja eram parte da vida quotidiana. Os dias longos que se sustentam, a brisa após um dia longo de calor, a abundância dos ingredientes; e claro, as abobrinhas e os tomates. Esses são, depois das berries, a minha parte favorita to verão. A natureza nos presenteando!

Das outras delícias do verão são os Farmers Markets da região. O contato com o produtor, a possibilidade de comprar o ingrediente frescos, recém colhidos, exalando toda sua beleza...esse sim é o meu tipo de verão. E foi numa dessas idas à uma das feiras da região que me deparei com tomates, de um vermelho intenso e de um aroma irresistível. Foram para a minha cesta. Na mesma banca encontrei abobrinhas amarelas e verdes, tinham sido colhidas na mesma manhã. As berinjelas meticulosamente organizadas sob um caixote de madeira também me conquistaram. A réstia de alho me chamou a atenção na banca ao lado e não resisti, trouxe uma para casa. Os pães da minha boulangerie favorita na região, sendo assados ali na hora, inebriaram toda a feira com aquele cheiro inconfundível de pão assando, não havia outra opção a não ser me render ao prazer de poder trazer 2 pains de campagne para casa. 
Então sem perceber e sem planejar, meu almoço já havia sido desenhado. Vegetais tão frescos não mereciam ser esquecidos no balcão da cozinha, eles mereciam serem assados lentamente, banhados em azeite extra virgem e ervas frescas, liberando aquele aroma de comida de fazenda, da comida que comi no Sul da França e que me inspira diariamente. Eles foram transformados nesse Tian. 



O Tian na verdade é o nome do refratário onde os vegetais são assados, mas no Sul da França é assim que eles chamam esse preparo, onde abobrinhas, berinjelas, cebola e tomates são assados lentamente até que os sabores se misturem. É sem dúvida um dos melhores pratos que saiu da minha cozinha nos últimos meses. De almoço foi servido o Tian com cordeiro grelhado e fatias generosas do pão que havia comprado pela manhã. À noite, preparei uma bruschetta com o que sobrou do almoço e posso garantir que estava melhor ainda! Esse é um daqueles pratos que melhoram com o tempo, é definitivamente algo que vai aparecer muitas e muitas vezes por aqui!

E vocês, qual a estação que mais gostam?

Beijos para vocês!



Tempo de preparo: 20 Minutos
Tempo de forno: Aproximadamente 90 minutos
Rendimento: 4 Porções 

Ingredientes

4 dentes de alho grande, fatiados finamente
4 tomates frescos bem maduros
2 abobrinhas (eu usei verde e amarela)
1 berinjela
2 cebolas pequenas
Azeite de oliva extra virgem (eu usei uns 130ml)
Ervas frescas picadas (eu usei: Tomilho fresco, Alecrim Fresco, Orégano Fresco)
Sal e pimenta do reino a gosto
Queijo de cabra para finalizar
Fatias de pão para servir

Modo de preparo

  1. Pré aqueça o forno a 200ºC. Unte um refratário com mais ou menos umas 2 colheres (sopa) de azeite, distribua metade do alho e metade das ervas. Tempere generosamente com sal e pimenta.
  2. Fatie os vegetais (aproximadamente 1/2cm de espessura). Tente escolher vegetais que tenham mais ou menos o mesmo diâmetro, dessa forma eles ficarão bem alinhados no refratário. Se não encontrar, não tem problema, a beleza desse prato também vem do fato de ser bem rústico. 
  3. Distribua os vegetais no refratário, arrumando de forma que eles fiquem bem apertados. É necessário que fiquem bem juntinhos, pois durante o cozimento, eles perdem bastante líquido e acabam perdendo volume. 
  4. Tempere novamente generosamente com sal e pimenta e regue com azeite de oliva extra-virgem (Acho que eu usei em torno de 1/2 xícara...mas aqui vai ao gosto de cada um, viu?). Distribua o restante do alho e das ervas sobre os vegetais. Coloque o refratário sob uma outra forma (Caso borbulhe no forno...você não vai querer limpar a bagunça depois) e leve ao forno por mais ou menos uns 90 minutos.
  5. Retire do forno e deixe descansar por uns 5-10 minutos, coloque os pedaços de queijo de cabra por cima e sirva com as fatias de pão ligeiramente tostadas. Parfait! 
Bon Appétit!

Dicas:

  • Eu coloquei as medidas aproximadas. Aqui não tem muita receita, você pode usar mais ou menos de todos os vegetais, vai da preferência de cada um. 
  • Use um azeite de bastante qualidade, vai fazer toda a diferença.
  • Eu aconselho servir o prato com um pão mais robusto, desses de casca mais grossa. Dessa forma os sucos do Tian vão ser absorvidos pelo pão.
  • Vocês podem omitir o queijo de cabra, mas eu acho que traz um toque todo especial...e eu adoro queijo de cabra, então sou suspeita para falar :)
  • O Tian se conserva bem na geladeira por uns 2 dias...apesar de achar que não vai sobrar nada...aqui não durou nem 1 dia inteiro. 

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Torta de Pêssegos e Framboesas com Mousse de Cream Cheese



É verão para mim quando os morangos vermelhos e aromáticos brotam. As framboesas vêm em seguida, os mirtilos não tardam a aparecer...mas os pêssegos, ah esses são os mais esperados por essa cozinheira que vos fala. Pêssegos carnudos, firmes e suculentos. O aroma inconfundível desse fruto sempre abre para a mim a temporada de frutas assadas. Por que sim, eu sempre compro mais pêssegos do que consigo consumir, então é inevitável não ter que inventar várias formas de prepará-los. 

Foi assim que a idéia dessa torta surgiu. Haviam tantos pêssegos maduros na minha fruteira que eu decidi fazer uma geléia, então tinha muita geléia e resolvi fazer uma torta. Uma torta deliciosa, com diversas camadas e texturas, de sabor leve e perfeita para finalizar um almoço que ofereci à alguns amigos. Uma forma de celebrar o verão e a abundância de frutas e sabores que essa estação nos presenteia!

Beijos para vocês e boa semana!



Tempo de preparo: 40 minutos
Tempo de forno: Aproximadamente 25 minutos
Tempo de descanso da massa: Pelo menos 2h30
Tempo de descanso da massa da torta e mousse de cream cheese: 1 noite
Rendimento: 8 porções (Ou uma forma de 25cm de diâmetro)


Ingredientes para a massa (Jacques Genin)

175g de manteiga sem sal, em temperatura ambiente
125g de açúcar de confeiteiro
30g de farinha de amêndoas 
60g de ovo (Mais ou menos um ovo grande)
1 pitada de sal
1/2 fava de baunilha
310g de farinha de trigo
1 gema

Ingredientes para o frangipane de amêndoas e framboesas (Cyril Lignac)

150g de farinha de amêndoas
15g de amido de milho
120g de açúcar de confeiteiro
15g de rhum
90g de ovos ligeiramente batidos
120g de manteiga sem sal, em temperatura ambiente
1 punhado de framboesas frescas

Ingredientes para o mousse de cream cheese

150g de cream cheese em temperatura ambiente
30g de açúcar de confeiteiro
1 colher (chá) de pasta de baunilha
1/2 colher (chá) de suco de limão
125ml de creme de leite fresco
1 colher (chá) de gelatina em pó 
5 colheres (chá) de água (para hidratar a gelatina)

Ingredientes para a geléia de pêssegos (Vai sobrar bastante, usa-se mais ou menos 1/4 da geléia na torta)

1kg de pêssegos frescos cortados em cubos (sem a pele)
375g de açúcar
Suco de meio limão

Para decorar
Pêssegos, Morangos e framboesas frescas

Modo de preparo
  1. Comece pela massa da torta. Leve à batedeira a manteiga em temperatura ambiente, o açúcar, o sal, a farinha de amêndoas e a fava de baunilha. Bata com o auxilio do batedor em forma de folha por mais ou menos 2 minutos. Acrescente o ovo, bata rapidamente para incorporar e então acrescente a farinha. Bata apenas até que a farinha incorpore, não bata muito, você não pode desenvolver o glúten da massa. Forme um disco de massa e cubra com papel filme. Leve a geladeira por pelo menos 2 horas, o ideal é uma noite.
  2. Depois do período de descanso, abra a massa e cubra o fundo e as laterais de uma forma com fundo removível (Mais ou menos 25cm). Fure o fundo com a ajuda de um garfo e retorne à geladeira por pelo menos 30 minutos.
  3. Prepare o mousse. Hidrate a gelatina na água. Na batedeira bata o cream cheese, o açúcar, a baunilha e o limão até obter um creme fofo. Derreta a gelatina e incorpore ao creme. Reserve. Bata o creme de leite até obter picos firmes. Agregue o creme de leite batido ao creme reservado. Transfira para um aro de mais ou menos 22cm e leve ao congelador por uma noite.
  4. Prepare a geléia. Leve ao fogo todos os ingredientes, cozinhe em fogo baixo até atingir 103ºC. Durante o processo, retire a espuma que forma na geléia. Transfira a geléia para potes esterilizados. Reserve na geladeira.
  5. Prepare o frangipane. Na batedeira, com o auxílio do batedor tipo folha, bata a manteiga rapidamente, acrescente a farinha de amêndoas, o amido de milho e o açúcar de confeiteiro, bata em velocidade baixa até incorporar, acrescente os ovos aos poucos e finalize com o rhum. Reserve.
  6. Pré aqueça o forno a 170ºC, forre o fundo e as laterais de uma forma de torta, com abas baixas (mais ou menos uns 23cm). A massa vai ser suficiente para 1 torta e meia, então você pode congelar o restante e usar num preparo futuro. Cubra ao fundo da torta com o creme de amêndoas, disponha as framboesas frescas e leve ao forno pré aquecido por mais ou menos 20-25 minutos, ou até que o fundo da torta esteja assado e as laterais douradas. Retire do forno e deixe esfriar. 
  7. Para a montagem. Depois de fria, espalhe uma camada fina de geléia sobre o frangipane. Desenforme o mousse e disponha sobre a torta e decore com os pêssegos cortados e as framboesas.
  8. Leve à geladeira até a hora de servir.

Bon appétit!


Dicas:

  1. A geléia dura até 3 semanas se bem refrigerada.
  2. O restante da massa pode ser congelado por até 2 meses.
  3. Se não tiver framboesas frescas, mirtilos ou morangos também são excelentes opções.

domingo, 14 de julho de 2019

Macarons com Ganache de Champagne



Das memórias que crio rodeada por minhas panelas e utensílios culinários, uma das mais especiais envolvem macarons. São especias para mim por diversas razões, estiveram presentes em comemorações e nos momentos mais importantes da minha vida com o Amore. Ao vê-los e prepará-los é inevitável não reviver algum desses momentos, como o nosso casamento por exemplo. Foram 1000 macarons preparados por mim e por minha querida amiga, Fernanda. Foram dias e noites de muita dedicação. Foram muitas conversas, risos e momentos que estão para sempre guardados na minha memória. Dias felizes!

Então quando uma amiga aqui me procurou e perguntou se eu poderia preparar macarons para o chá de panela que ela estava organizando para sua irmã, eu não tive dúvidas; aceitei o convite na hora. Fiz macarons de champagne, pois momentos como esse devem ser celebrados. Uma combinação sofisticada e deliciosa, onde o Champagne foi o ingrediente perfeito para elevar ainda mais esse docinho tão elegante. Ficaram excelentes!

E assim, mais memórias foram criadas; por mim, por minha amiga e sua irmã. Mais memórias envolvendo macarons ♥️.




Tempo de preparo: 15 minutos
Rendimento: 30 a 35 macarons (3cm), dependendo do tamanho que forem feitos

Ingredientes

100g de claras de ovo em temperatura ambiente (O ideal é separar a clara da gema e deixar em um potinho tampado na geladeira por mais ou menos 5 dias, mas sempre use em temperatura ambiente, ok?) 
110g de farinha de amêndoas bem fina 
200g de açúcar de confeiteiro 
50g de açúcar refinado 
Corante alimentício em gel na cor desejada 

Ingredientes para a redução de Champagne

150ml de champagne (ou algum espumante seco)

Ingredientes para a ganache de Champagne

200g de chocolate branco picado de alta qualidade (eu uso Valhrona)
50g de creme de leite fresco 
50ml de redução de Champagne

Modo de preparo 

1. Bata a farinha de amêndoas com o açúcar de confeiteiro no processador. Bata usando a tecla pulsar, de 3 a 4 vezes, não deixando bater mais que 30 segundo em cada vez. Passe por uma peneira e reserve. 

2. Bata as claras em neve na batedeira, quando estiverem com volume e já brancas, adicione o açúcar refinado em chuva. Acrescente o corante em gel e deixe bater por mais alguns instantes até que fique firme, porém flexível. 

3. Para a macaronage, primeiro coloque 1/3 do merengue e misture até que fique uniforme. Acrescente o restante do merengue e envolva rapidamente com uma espátula de silicone. Tente fazer a menor quantidade de movimentos possíveis. Lembre-se de como você incorpora claras a massa de bolos, delicadamente e com movimentos envolventes...mas aqui tem que ser mais rápido e preciso, não podemos misturar demais, ok? 
O ponto da massa é uniforme, porém com textura...se ficar muito líquido, provavelmente você misturou demais e a massa perdeu sua estrutura. Transfira para o saco de confeiteiro e molde os círculos do tamanho desejado sobre o silpat ou o papel manteiga (eles devem estar apoiados em uma forma). 

4. Bata com a forma na bancada por 3 a 4 vezes até que todo o ar, que eventualmente possa estar dentro dos macarons saia. Deixe descansar em temperatura ambiente por 60 minutos ou até que ao tocar o macaron, o mesmo não grude na ponta dos dedos. Deve ser formada uma casquinha.. Não deixe perto do fogão ou lugar úmido. Dê preferências para lugares frescos e secos. 

5. Enquanto o macaron seca, pré aqueça o forno a 150 graus. Depois do período de descanso, leve ao forno pré aquecido por 16 a 18 minutos. Para saber se está bom, dê leves toques na superfície, ela deve estar seca e com som levemente oco. Retire do forno e retire o silpat ou papel manteiga imediatamente da forma e transfira para uma superfície fria ou gelada (pode ser a bancada da cozinha). 

6. Depois de desenformado, guarde em recipiente hermeticamente fechado e leve a geladeira. Recheie no dia seguinte e sirva em temperatura ambiente. 

7. Para a redução de Champagne. Leve a Champagne ao fogo e deixe reduzir até obter 1/3 do líquido. Reserve.

8. Para a ganache. Pique o chocolate branco e coloque em uma tigela. Leve o creme de leite ao fogo com a redução de Champagne, quando levantar uma leve fervura (Não deixe ferver!), despeje sobre o chocolate e deixe descansar 1 minuto. Depois de 1 minuto, comece a homogeneizar a mistura do centro para fora, ou seja, misture (sem incorporar ar) partindo do centro para fora. Deixe a ganache esfriar e quando estiver mais firme (Consistência de uma trufa), transfira a batedeira e bata por 1 minuto em velocidade alta. Transfira para o saco de confeitar e recheie os macarons.



Observações: 
  • Os macarons ficam mais saborosos no primeiro ou segundo dia após o preparo. Deixe na geladeira (mesmo depois de recheados) e quando for consumir, deixe em temperatura ambiente por mais ou menos 30 minutos e então sirva. 
  • Você pode substituir uma proporção de farinha de amêndoas por alguma outra farinha de nozes, como castanha do brasil, nozes, avelã e pistache. Use a proporção para a receita acima de 80% da farinha da noz escolhida de 20% de farinha de amêndoa. Ou seja, para 200g totais, 40g de farinha de amêndoas e 160g de farinha de pistache (ou outra de sua preferência). 


domingo, 23 de junho de 2019

Torta de Limão e Manjericão


Das vantagens de morar um pouco mais afastada do centro de Toronto é poder descobrir cenários que nunca havíamos explorado e retomar hábitos que a vida na cidade grande não nos permite. Hoje, por exemplo, pegamos as bicicletas e fomos em direção ao norte. Há dias queria ter feito esse passeio para cruzar as inúmeras fazendas que nos rodeiam, sentir o cheiro das flores silvestres, admirar a vida animal e no meio do caminho visitar uma das vinícolas da região.  



O passeio, como esperado, foi delicioso! Passamos por caminhos super charmosos, clubes de golf, fazendas, haras e paramos para recarregar as energias com algumas tacinhas de vinho e saborear uma seleção deliciosa de queijos e frios. Adoro fazer esses passeios com meu Amore! É como se o tempo parasse e só existisse nós dois, é nosso momento, conversamos e curtimos a companhia um do outro.

Foi um dia maravilhoso, daqueles que vou guardar na memória para sempre, assim como essa torta de limão e manjericão. Infelizmente eu preparei essa sobremesa algumas semanas atrás e não pude terminar o meu dia com uma fatia dessa torta de sabor surpreendente e maravilhosamente equilibrada. Mas pude fazer outra sobremesa, sorvete de queijo de cabra com calda de figos e tomilho...mas isso é conversa para outro post. :)

Beijos para vocês e bom domingo!




Tempo de preparo: 30 minutos
Tempo de forno: Aproximadamente 20 minutos
Tempo de descanso da massa: Pelo menos 2h30
Tempo de descanso da torta: 1 noite
Rendimento: 8 porções (Ou uma forma de 25cm de diâmetro)
Receita de um dos meus chefs pâtissier favoritos: Jacques Genin

Ingredientes para a massa

175g de manteiga sem sal, em temperatura ambiente
125g de açúcar de confeiteiro
30g de farinha de amêndoas 
60g de ovo (Mais ou menos um ovo grande)
1 pitada de sal
1/2 fava de baunilha
310g de farinha de trigo
1 gema

Ingredientes para o creme de limão e manjericão

180g de suco de limão Tahiti
Raspas da casca de 3 limões
170g de açúcar cristal
20g de folhas de manjericão italiano (mais ou menos umas 15 folhas grandes)
3 ovos
200g de manteiga sem sal cortada em cubinhos, em temperatura ambiente 

Raspas de limão para decorar
Merengue para decorar (Opcional)

Modo de preparo


  1. Comece pela massa da torta. Leve à batedeira a manteiga em temperatura ambiente, o açúcar, o sal, a farinha de amêndoas e a fava de baunilha. Bata com o auxilio do batedor em forma de folha por mais ou menos 2 minutos. Acrescente o ovo, bata rapidamente para incorporar e então acrescente a farinha. Bata apenas até que a farinha incorpore, não bata muito, você não pode desenvolver o glúten da massa. Forme um disco de massa e cubra com papel filme. Leve a geladeira por pelo menos 2 horas, o ideal é uma noite.
  2. Depois do período de descanso, abra a massa e cubra o fundo e as laterais de uma forma com fundo removível (Mais ou menos 25cm). Fure o fundo com a ajuda de um garfo e retorne à geladeira por pelo menos 30 minutos.
  3. Pré aqueça o forno a 180ºC. Leve ao forno e asse por mais ou menos 15 a 20 minutos. Após 13 minutos, retire a torta da forma, pincele a massa com a gema e retorno ao forno para terminar de assar e obter uma coloração dourada. Retire do forno e deixe esfriar completamente. 
  4. Para o recheio. Leve ao fogo baixo todos os ingredientes do recheio com exceção da manteiga. Mexa constantemente com a ajuda de uma colher de pau. Quando começar a engrossar (Não deixe ferver) retire do fogo e passe todo o preparo por uma peneira. Deixe descansar 5 minutos, acrescente a manteiga e emulsione o preparo com a ajuda de um mixer (esse passo é essencial para obter a textura adequada. Transfira o recheio para base da torta e leve à geladeira por uma noite. Antes de servir, distribua as raspas de limão e o merengue quebradinho sobre a torta e sirva. 
Bon appétit!


sábado, 15 de junho de 2019

Panna Cotta de Baunilha com Redução de Vinho Marsala e Morangos



As últimas semanas passaram e com as temperaturas mais amenas, os projetos exteriores começaram a tomar forma. Meus dias, quando estou em casa, são passados ao ar livre à sombra das belas árvores.  Há verde para todos os lados e isso me enche de inspiração. As flores, além de cor, trazem os pássaros. Em breve teremos os frutos e com eles a satisfação de colher morangos, framboesas e cerejas do meu próprio jardim. Mal posso esperar! 

E quanto à mim, com a mudança das temperaturas, busco pratos mais leves e simples. Essa Panna Cotta é um belo exemplo disso. Simples, leve e delicada. O toque diferente é dado pela redução do vinho Marsala, que além de trazer um certo "conforto" para o preparo, o deixou muito mais interessante. Os morangos trazem o frescor e a acidez necessária para balancear os sabores. Simples e deliciosa! 

Beijos para vocês e bom restinho de sábado!



Tempo de preparo panna cotta: 10 minutos
Tempo de preparo da redução de Marsala: 20 minutos
Tempo de descanso: 6 a 8 horas
Rendimento: 6 porções (ou 4 para os mais gulosos...como eu!)

Ingredientes da panna cotta

3 folhas de gelatina
2 xícaras de creme de leite com 10% de gordura
1 xícara de creme de leite com 35% de gordura
1/3 xícara de açúcar granulado
1 fava de baunilha (opcional)

Ingredientes para a redução de Marsala

2 xícaras de vinho Marsala (eu usei seco)
1/2 xícara de açúcar 

Morangos frescos

Mode de preparo

  1. Hidrate as folhas de gelatina em água gelada e deixe descansar por 5 minutos.
  2. Leve ao fogo muito baixo, o creme de leite (10% de gordura) com o açúcar e a baunilha, até que o açúcar dissolva. NÃO deixe ferver. Se você perceber que a mistura está começando a levantar fervura, retire do fogo imediatamente para esfriar. Uma vez que a gelatina estiver hidratada, escorra bem e adicione à mistura para que dissolva. Cuide para não deixar ferver. Quando a gelatina dissolver, retire do fogo e misture o creme de leite restante. Descarte a fava de baunilha e distribua a mistura nos recipientes em que você for servir. Leve à geladeira por pelo menos 6 horas para firmar.
  3. 1 hora e meia antes de servir, em uma panela de laterais altas, leve o marsala e o açúcar ao fogo médio e deixe ferver até reduzir para 1/2 - 3/4 xícara a quantidade final. Retire do fogo e deixe esfriar. Marine os morangos nessa calda por uns 20 minutos antes de servir.
Bon appétit! 


terça-feira, 28 de maio de 2019

Amaretti



É primavera! A natureza finalmente acordou do sono mais profundo desde que chegamos. Foi um inverno longo, frio e muito incômodo. De todos os anos que passamos aqui, acho que esse foi o mais penoso, talvez pelo fato que agora estarmos morando em uma casa e eu estava ansiosa para aproveitar o meu jardim, ou talvez pelo fato que eu já estou me sentindo "canadense" - todo canadense reclama do inverno :). A conclusão é que sou uma pessoa do que aqui eles chamam de "meia estação"! Frio demais ou calor demais definitivamente não é para mim!

Mas para dizer que esse inverno não teve suas vantagens, eu cozinhei muito e recebi muitos amigos em casa. Jantares, almoços, lanches...ou só um aperitivo e alguns petiscos; essa foi uma estação de muita confraternização e muita troca entre as pessoas que escolhemos como família. Então com tempo livre eu também testei muitas ideias que não saiam da minha cabeça. Estava desde o ano passado com a ideia fixa de aperfeiçoar minha receita de Amaretti. Não era um biscoitinho que eu fazia com muita frequência, mas depois que provei o Amaretti do Buca, um restaurante italiano maravilhoso em Toronto, eu não consegui parar de pensar em como poderia produzir algo com a mesma textura e sabor. Me lembrou da temporada quando estava tentando fazer macarons, a diferença é que nessa receita eu precisaria apenas equilibrar um pouco mais os sabores. Foram algumas tentativas, muitos amigos ganhando Amaretti e acho que cheguei numa receita que me agradou bastante. A textura por fora é mais crocante e por dentro mais molinha, o sabor do Amaretto sobressai e eu não consigo pensar num melhor jeito de acompanhar um xícara de chá, combinação perfeita! 




Agora voltando à primavera, toda aquela ansiedade de aproveitar o jardim foi compensada, as flores, o verde novo e a promessa de frutas em breve trouxe uma sensação de satisfação indescritível, só quero estar lá com o Amore e a Praliné, uma xícara de chá ou talvez uma taça de rosé...alguns Amaretti também serão super bem-vindos!

Beijos para vocês!



Tempo de preparo: 15 minutos
Tempo de forno: Aproximadamente 15 a 20 minutos
Rendimento: Aproximadamente 30 cookies

Ingredientes

3 claras de ovo
300g de farinha de amêndoas
270g de açúcar refinado
1/4 colher (chá) de extrato de amêndoas
2 e 1/2 colher (sopa) de Amaretto (Lico de Amêndoas)

Açúcar cristal e açúcar de confeiteiro para finalizar

Modo de preparo
  1. Pré-aqueça o forno a 170ºC. Cubra uma assadeira grande com Silpat ou papel manteiga.
  2. Misture a farinha de amêndoas com o açúcar. Na batedeira, bata as claras até formar picos firmes. Incorpore a farinha de amêndoas com o açúcar, acrescente o extrato de amêndoas e o Amaretto. Misture até incorporar. 
  3. Forme pequenas bolinhas (mais ou menos 1 colher (sopa) rasa), passe no açúcar cristal e depois no açúcar de confeiteiro. Disponha os cookies na assadeira e pressione levemente com a ponta dos dedos. 
  4. Leve ao forno pré-aquecido por mais ou menos 15-20 minutos (depende do forno). Eles devem ficar mais firmes por fora, mais ainda macios no meio. Retire do forno e deixe esfriar por mais ou menos 5 minutos antes de retirar da assadeira. 
Os Amaretti podem ser conservados por até 7 dias em um recipiente com fechamento hermético...mas não vão durar até lá. 




domingo, 12 de maio de 2019

Pudim no Pote



Das memórias que trago comigo, muitas delas envolvem comida. Minha mãe à beira do fogão, o aroma do pão de queijo assando em uma tarde chuvosa, a lenha queimando lentamente no fogão à lenha e minha avó pacientemente a mudando de lugar, trazendo calor e conforto para a cozinha. Como não lembrar dos caldos fumegantes a cozinhar sob a chama do fogão, meu pai a cuidar da horta com toda sua paciência e amor, as lindas folhas da nossa figueira e a colheita dos mais doces figos que já provei. As tarde de sábado e toda a família reunida para o preparo de pamonhas. Bons tempos. Os guardo com muito carinho!

Hoje continuo acumulando essas memórias, continuo usando comida como desculpa para as criar ao lado dos amigos que são nossa família aqui. Sempre faço pudim para eles, vejo em cada colherada o sorriso e a sensação de conforto que essa sobremesa traz para cada um que a prova. É uma volta na infância, é revisitar as memórias que eles também viveram, é carinho e cuidado. E é isso que importa para mim, é ser feliz e ver os que me rodeiam também felizes. Por isso quando o convite para jantar com um amigo querido que mudou para outro país apareceu, eu quis fazer algo para presentea-lo. Nada melhor do que pudim, dessa vez num formato adaptado para transportar facilmente. E mais uma vez, mais memórias foram criadas, um jantar delicioso, ao lado de queridos amigos e o pudim, meu jeito de agradecê-los por fazerem parte dessa jornada, por serem parte da nossa história e por estarem aqui sempre que precisarmos. 

Beijos para vocês e boa semana!



Tempo de preparo: 10 minutos
Tempo de forno: Aproximadamente 25 minutos
Rendimento: 8 potinhos, com capacidade para 100ml cada um

Ingredientes 

1 lata de leite condensado
1 e 1/2 lata de leite integral (medida na lata de leite condensado)
2 ovos
3 gemas
1 fava de baunilha

1 xícara de açúcar cristal (para o caramelo)

Mode de preparo
  1. Pré aqueça o forno a 160ºC. 
  2. Faça um caramelo com o açúcar e distribua no fundo e laterais de dos potinhos de vidro.
  3. Bata todos os ingredientes no liquidificador por mais ou menos 3-5 minutos.
  4. Divida a mistura nos potinhos e leve ao forno pré aquecido, em banho-maria, por mais ou menos 25 minutos. O pudim estará pronto quando a mistura estiver firme, mas com um POUCO de movimento no centro. Retire do forno e deixe esfriar. Leve a geladeira por pelo menos 2 horas antes de servir.
Dicas:
  • Cubra o fundo da forma com papel toalha e coloque os potinhos por cima antes de colocar a água do banho maria. Dessa forma os potinhos não vão balançar enquanto assam. 
  • Eu cortei círculos de um tecido e amarrei um cordãozinho para dar um toque especial. Sem muito esforço você tem um presente que vai fazer sucesso!



quarta-feira, 1 de maio de 2019

Bolo de 2 Limões com Sementes de Papoula



Existem momentos que você percebe que está definitivamente envelhecendo. Aqueles momentos onde tudo o que você quer é chegar em casa e curtir preguiça no sofá com seu Amore (e os amores de quatro patinhas também) ao invés de sair para algum lugar badalado,  na época do natal a expectativa é saber qual canal vai reprisar o filme "Esqueceram de Mim" e que você está ansiosa para ver, ou então ao preencher formulários online e na hora de escolher a ano do seu nascimento, é preciso scroll down um pouco mais até achar o seu ano, ou quando uma noite mal dormida pode ter consequências que se estenderão pelos próximos 5 dias. No meu caso, a gota d'água foi quando eu percebi que barulhos que numa me incomodavam, agora me irritam mais do que deveriam. 
Por exemplo, vocês sabem o quando eu gosto de cozinhar, não é segredo para ninguém que sempre tive uma queda maior pelo preparo de doces, adoro um desafio e conhecer novas técnicas de confeitaria. No entanto, por conta da minha preferência pelo silêncio, tenho evitado usar batedeira, liquidificador e outos gadgets que fazem barulho e interferem na paz da minha cozinha. Estranho, né?   Desde a minha primeira KitchenAid quando ainda morava no Brasil, eu inventava ocasiões para poder usar minha amada batedeira, agora eu evito de todas as formas usar qualquer equipamento que perturbe meu silêncio. Bato claras em neve à mão, chantilly é feito 100% com a força dos meus bracinhos, pães são sovados manualmente e apenas o que minha força física não permite, ou que é imprescindível fazer sem a ajuda de aparelhos, eu abro mão e acabo cedendo à tecnologia. 

Vai me entender, né? Com a tecnologia só trazendo facilidades...eu cá estou voltando anos atrás e abrindo mão dos benefícios que ela nos proporciona. Porém, acho que isso também ajudou a aflorar alguns sentidos que talvez estivessem adormecidos. O prazer do colocar a "mão na massa", de sentir o ponto dos preparos e descobrir as mudanças que ocorrem durante a preparação de algumas receitas. Me lembra as tardes na cozinha com minha avó, com minha mãe, onde tudo era feito a mão, sem firulas, sem barulho. Esse processo todo as vezes me dá uma gratificação tão grande, não sei explicar! Me faz feliz!
Esse bolo é um exemplo disso. É feito à mão, como minha avó fazia, numa tigela, com colher de pau. É um bolo que além de não necessitar de batedeira, ou liquidificador, deixa a cozinha com um aroma incrível! É daqueles bolos que você deve deixar no balcão da cozinha, e a cada visita você come uma fatia...aquele bolo que pede uma xícara de chá de acompanhamento, um livro e nada mais. É aquele tipo de bolo que só pode ter uma classificação: Perfeito!

Beijos para vocês e boa quarta-feira!





Tempo de preparo: 10 minutos
Tempo de forno: Aproximadamente 1 hora
Rendimento: 10 porções

Ingredientes para o bolo

1 e 1/2 xícara  de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento em pó
1/2 colher (chá) de sal
Raspas de 2 limões sicilianos grandes (ou 2 bergamotas, ou 1 laranja grande)
Raspas de 1 limão tahiti
2 colheres (sopa) suco do limão tahiti 
1 e 1/4 xícara de açúcar
4 ovos grandes, em temperatura ambiente
3/4 colher (chá) de extrato de baunilha
1/2 xícara de creme de leite fresco, 35% de gordura, em temperatura ambiente
5 e 1/2 colheres (sopa) de manteiga sem sal derretida
1/3 xícara de sementes de papoula

Ingredientes para a calda

1 xícara de açúcar de confeiteiro
4 colheres (sopa) de suco de limão siliciano

Modo de preparo

  1. Pré aqueça o forno a 190ºC. Unte com manteiga e enfarinhe uma assadeira redonda, a minha tinha 23cm de diâmetro. Reserve.
  2. Em um bowl, misture a farinha, o fermento em pós e o sal. Reserve.
  3. Retire as raspas dos limões e, em um outro bowl, misture com o açúcar. Use as pontas dos dedos para esfregar as raspas no açúcar. Quanto mais você fizer isso, maior a chance do seu bolo ficar aromático. 
  4. Batendo vigorosamente, adicione os ovos, um a um, a mistura de açúcar. Só adicione o próximo ovo quando o anterior estiver completamente incorporado. Adicione o suco do limão, a baunilha e o creme de leite. Misture bem.
  5. Acrescente os ingredientes secos e incorpore-os delicadamente, em 2 ou 3 adições, com a ajuda de uma espátula grande de silicone, à mistura de açúcar e ovos. Adicione a manteiga derretida e misture delicadamente até que ela esteja completamente incorporada. Por fim, acrescente a semente de papoula e misture novamente.
  6. Transfira a massa para a forma preparada e asse, em forno pré aquecido, por mais ou menos 1 hora, ou até que ao inserir um palito no centro do bolo, o mesmo saia seco. 
  7. Após assado, retire o bolo do forno e deixe descansar por mais ou menos 5 minutos, desenforme e deixe esfriar. 
Para a calda de açúcar e limão

  1. Misture o açúcar e o suco de limão até virar dissolver. Cubra o bolo já frio com a calda.

Bon appétit!

Dicas:
  • O bolo estará pronto para servir assim que estiver frio. No entanto, ele fica muito mais gostoso no dia seguinte;
  • Para guardar o bolo depois de frio, enrole-o em plástico filme;
  • O bolo, se bem embalado, dura até 4 dias em temperatura ambiente ou até 2 meses no freezer;
  • Para descongelá-lo, deixe uma noite na geladeira e sirva em temperatura ambiente.

segunda-feira, 22 de abril de 2019

Pots de Crème au Caramel et Fleur de Sel - Potinhos de Creme de Caramelo com Flor de Sal



Da janela da cozinha os galhos da Cherry Blossom mostram pequenos pontinhos vermelhos. Ao lado, a Pereira mais apressada, já esbanja brotos verdes e meu anseio por ver suas flores aumenta a cada dia. À esquerda minha linda Golden Locust ainda está adormecida, mas ao seu redor a grama, que antes hibernava durante o inverno traz os tons de verde que eu tanto ansiava. Os arbustos ao longo da cerca renascem e já posso notar as lindas folhas das framboeseira, promessa que no verão já poderei colher framboesas diretamente do meu jardim. Também não posso esquecer dos morangos silvestres que ainda tímidos, já mostram que logo mais poderei me deliciar com seu sabor único. Ao redor to deck, as roseiras começam a crescer e diariamente eu passo alguns minutos a conversar com elas, sempre tive a impressão que as plantas nos escutam. Enfim, todo o jardim toma forma e apesar de um tanto atrasada, a primavera começa a chegar por aqui. 

As chuvas também continuam constantes por aqui ajudando a trazer a vida de volta, e as temperaturas sempre positivas me trazem aquela sensação de renascimento que só a primavera consegue proporcionar. Adoro essa época do ano, os dias visivelmente mais longos, a mudança de humor das pessoas, é como se elas também acordassem do longo inverno que passamos. Meus hábitos alimentares também se adaptam com a mudança de cada estação e apesar de agora buscar pratos mais leves, eu ainda não me desapeguei 100% dos pratos mais reconfortantes. Esses potinhos de creme de caramelo são um excelente exemplo disso. Já foram feitos em diversas ocasiões, estações, e são sempre uma agradável surpresa para quem os degusta. Para mim, são o conceito perfeito de uma sobremesa: doce na medida certa, indulgentes e que enchem a cozinha com seus aromas durante o preparo. Felicidade ao fazer e ao provar! 

Então fico por aqui, contando os dias para ver o jardim florir. Espero voltar em breve com fotos e quem sabe receitas com o que colher...mal posso esperar!

Beijos para vocês e boa semana!



Tempo de preparo: 10 minutos
Tempo de forno: 50 minutos
Rendimento: 8 porções 
Receita do chef Curtis Stone

Ingredientes

4 colheres (sopa) de manteiga sem sal
3/4 xícara de açúcar mascavo escuro
1/2 colher (chá) de flor de sal
1/2 fava de baunilha
1 e 3/4 xícara de creme de leite, 35% de gordura
3/4 xícara de leite integral
6 gemas grands
Flor de sal para finalizar

Modo de preparo

  1. Pré aqueça o forno a 160ºC. Disponha 8 potinhos que possam ir ao forno sob uma assadeira funda e reserve.
  2. Leve uma panela ao fogo médio, derreta a manteiga. Acrescente o açúcar, as sementes e a fava da baunilha e a flor de sal. Ainda em fogo médio, cozinhe a mistura, mexendo sempre por mais ou menos 5 minutos, ou até que tenha um aroma de caramelo e textura de areia molhada. 
  3. Reduza o fogo e acrescente gradualmente o creme de leite. A mistura vai borbulhar, continue misturando e cozinhe por mais ou menos 5 minutos, ou até que o açúcar tenha dissolvido complemente. Retire do fogo e adicione o leite. 
  4. Em um bowl, bata levemente as gemas e adicione gradualmente o caramelo, mexendo sempre com a ajuda de um fouet. Passe a mistura por uma peneira e distribua o creme nos potinhos. Coloque água na forma (os potinhos vão assar em banho-maria) e cubra tudo com papel alumínio.
  5. Leve ao forno pré-aquecido e asse por mais ou menos 50 minutos, ou até que o creme esteja firme nas laterais e levemente cremoso no meio. Remova do forno e retire os pontinhos da assadeira, deixe descansar sob uma gradinha por mais ou menos 1 hora. Cubra cada potinho com filme plástico e leve à geladeira por pelo menos 4 horas.
  6. Antes de servir, finalize com flor de sal.
Bon appétit!

Dica: os potinhos podem ser preparados com até 2 dias de antecedência.

terça-feira, 9 de abril de 2019

Bolinhos de Chocolate - Chocolate Lava Cake



Compramos uma casa no fim do ano passado. Depois de vários meses buscando o que muitas vezes não conseguia colocar em palavras, encontrei. Sempre fui daquelas pessoas que precisa sentir a energia do lugar, preciso sentir uma conexão com o espaço e isso não está diretamente ligado com o quão novo ou sofisticado esse lugar possa ser, eu preciso entrar e me sentir à vontade, isso me faz querer ficar...ou partir. 

E nesse processo de busca de algo intangível, foi assim que, numa manhã de sábado entrei no que seria meu lar. Era novembro, as folhas já tinham se despedido e as temperaturas estavam anunciando que o inverno seria mais rigoroso. Já havia visitado outras 3 casas no mesmo dia e essa era a última da lista para aquela manhã. A casa não era 100% novidade para mim, eu já havia visto as fotos pela internet e algo tinha me chamado à atenção. Não sei explicar o que era, talvez os móveis antigos que se misturavam aos novos...talvez as cores, o jardim. Não sei dizer, só sei que quando eu vi as fotos algo me dizia que talvez a minha busca estava com os dias contados. 
Eu sempre soube bem o que eu queria, cozinha grande, jardim com árvores frutíferas, uma sala de jantar espaçosa, 4 quartos, muitas janelas, uma casa com charme e arquitetura interessante, em uma vizinhança bem estabelecida. Teoricamente até encontrei algumas opções, mas quando eu entrava na casa não sentia aquele "friozinho", sabe? Não me via morando lá. Mas esse sábado chegou e viemos ao número 323. Entramos pela porta da frente e eu soube naquele momento que tinha encontrado meu lar. Eu simplesmente senti e falei para o Amore na hora: "É essa! Aqui é nosso lugar!". O Amore não falou na hora, mas ele também sabia que essa casa era especial. Voltamos para casa e fizemos nosso dever de casa. Pesquisamos tudo sobre o bairro, as escolas, quem seriam os nossos vizinhos, o que teria para fazer nos arredores...essa é uma decisão muito importante, a gente tinha que estar certo dela. Fizemos a oferta alguns dias depois e após uma negociação rápida do valor, a casa era nossa! A casa que escolhemos! Que felicidade! É difícil explicar o que senti na hora. O ano de 2018 foi especial de tantas formas para nós e ali estávamos, fechando o ano com mais uma conquista. Eu estava cheia de emoção, mas também cheia de planos. Mal podia esperar os longos 60 dias até pegarmos as chaves e finalmente mudar para nosso novo cantinho. 

Então esse dia chegou, era fevereiro e aquele jardim que antes estava se despedindo do verde escuro do outono, estava coberto de neve. Mudamos e impaciente como sou já estava com tudo arrumado e em seu lugar poucos dias após a mudança. Nossa casa ficando com nossa cara. Aquela mesma sensação que vivi anos atrás no nosso apartamento no Brasil, aquela fase boa de decorar o espaço, buscar itens que são especiais de alguma forma para nós e construir aquela atmosfera que vai estar presente nas memórias que construiremos aqui. 
No entanto, o que que estava mais ansiosa era por receber meu queridos amigos aqui e poder compartilhar o espaço com eles. E já foram alguns jantares e almoços desde então. Boa comida, boa bebida e momentos especiais entre as pessoas que são mais importantes para nós aqui. Muito chocolate envolvido também...como esse bolinho de chocolate que já foi sobremesa em várias oportunidades. Ele é um bom exemplo de como minhas escolhas de menu tem sido ultimamente...simples, elegantes e infalíveis! 

Por enquanto é isso...estou aqui com a Praliné dormindo no meu colo, com a lareira ligada e curtindo a casa. Gostaria de ter um potinho desse bolo para acompanhar essa noite gostosa, mas só de lembrar o quanto ele é gostoso, já me traz um certo conforto.

Espero que vocês gostem! 

Beijos,
Stef



Tempo de preparo: 10 minutos
Rendimento: 4 porções
Receita retirada do livro Baking Chez Moi

Ingredientes

57g de manteiga sem sal
142g de chocolate meio amargo + 52g de chocolate meio amargo ou ao leite (aqui você precisa usar o chocolate de qualidade! Eu usei o Caraïbe da Valrhona)
3 ovos grandes, em temperatura ambiente
60g de açúcar de confeiteiro, peneirada
2 colheres (sopa) de farinha de trigo ou 1 colher (sopa) de amido de milho 

Modo de preparo

  1. Pré aqueça o forno à 200ºC. Unte com manteiga 4 ramekins e polvilhe com açúcar granulado. Reserve.
  2. Derreta as 142g de chocolate e a manteiga em banho-maria. Reserve.
  3. Na batedeira, bata os ovos com o açúcar até obter um creme claro e fofo, mais ou menos 5 minutos. Diminua a velocidade e acrescente a farinha de trigo ou amido de milho.
  4. Fora da batedeira e com a ajuda de uma espátula, incorpore delicadamente o chocolate derretido. Divida metade da massa nos 4 ramekins, distribua os 57g do chocolate reservado e cubra com o restante da massa.
  5. Leve ao forno pré aquecido por mais ou menos 10 à 12 minutos (vai depender do forno). A massa precisa estar assada por fora e o chocolate completamente derretido por dentro. Cuidado para não assar demais, caso contrário o chocolate será incorporado por completo à massa e você vai perder o efeito "lava" do bolinho.
  6. Retire do forno e deixe esfriar por mais ou menos 5 minutos antes de servir.

Bon appétit!






quarta-feira, 27 de março de 2019

Bolo de Fubá Cozido e Coco

Eu adoro ler. Sempre gostei de investir meu tempo livre na companhia de livros...não gosto das opções digitais, apesar de mais práticos, gosto de folhear os livros, sentir a textura das páginas, sentir aquele cheirinho do papel...gosto do manuseio o do ritual que criei cada vez que sento para ler mais um capitulo do livro da vez. Sinto um certo conforto na minha rotina de leitura. Em casa, normalmente esse momento é acompanhado de uma xícara de chá, ou uma taça de vinho...depende da hora do dia. As vezes vou ao parque com a Praliné e ficamos horas lá, eu lendo e ela me fazendo companhia. No caminho do trabalho também, sempre tenho um livro para me distrair. Também gosto dos planos de leitura que faço ao estar perto de terminar um livro. Dá uma sensação boa, parece como planejar uma viagem...mas sem sair de casa, é como se cada livro, cada leitura, fosse um passaporte para um lugar diferente. É definitivamente um dos meus grandes prazeres!

Hoje terminei mais um livro. Esse falava sobre o poder do hábitos, e como esses influenciam nossas escolhas, nossas vidas. Foi uma leitura bem interessante, daquelas que fazem você colocar em questão o por que fazemos aquilo que fazemos, seja no campo pessoal ou profissional. Muitas vezes é o seu inconsciente que dirige esses hábitos...a nossa rotina faz com que eles fiquem enraizados no nosso subconsciente e muitas vezes nem percebemos que nosso cérebro está agindo automaticamente em alguns, quer dizer vários, momentos da nossa vida. Inevitavelmente eu fiz aquele raio-x interno para tentar identificar aqueles hábitos que possam ser nocivos e também quais os que me fazem bem. Felizmente, minha lista foi mais positiva do que eu esperava. Óbvio que existem coisas que eu preciso trabalhar um pouco mais, como por exemplo criar o hábito de ligar mais para as pessoas que amo. Na correria do dia eu percebo que falo mais por mensagem com minha família e amigos do que por telefone, pior ainda vê-los pessoalmente...claro que morando 7000km de distância da maior parte dessas pessoas dificulta um pouco, mas não custa ligar e escutar a voz, não é mesmo? Taí um hábito que eu preciso trabalhar. No entanto tantos outros hábitos trazem bastante conforto, fazem bem para minha mente, me deixam feliz! Um deles é assar um bolo no fim-de-semana. Aqui é quase como um ritual, desde um bolo simples até um mais elaborado, é difícil passar um fim-de-semana sem ver um bolo num pedestal no balcão da cozinha. Não sei dizer o que me faz mais feliz, se é preparar o bolo, ou sentir o cheirinho dele assando...aquele ritual que aquece meu coração! Talvez o fato de ter algo gostoso para beliscar cada vez que passo pela cozinha...não sei dizer. Só sei que esse hábito eu não quero mudar, ele me faz feliz!

Beijos para vocês!



Tempo de preparo: 20 minutos
Tempo de forno: Aproximadamente 40 minutos
Rendimento: 1 forma de furo no meio (aproximadamente 22cm - eu fiz em duas de 10cm)

Ingredientes 

2 xícaras de fubá
2 xícaras de leite integral
2 xícaras de açúcar granulado
1 xícara de óleo de milho
3 ovos, em temperatura ambiente
1/2 xícara de coco ralado, sem açúcar
1 colher de sopa de fermento químico

Modo de preparo
  1. Pré aqueça o forno à 180ºC. Unte uma forma de buraco no meio com manteiga e polvilhe com farinha de trigo. Reserve.
  2. Em uma panela de fundo triplo, adicione o fubá, leite, açúcar e óleo. Leve ao fogo médio e, mexendo frequentemente, deixe ferver até dar o ponto de mingau. Retire a panela do forno, transfira a mistura para um bowl grande e reserve até a mistura amornar.
  3. Junte os ovos, coco e o fermento ao mingau de fubá e misture até obter uma massa homogênea. Transfira a massa para a forma preparada e leve ao forno por mais ou menos 40 minutos, ou até que ao fazer o teste do palito, o mesmo saia seco. 
  4. Depois de assado, transfira a forma para uma gradinha e deixe esfriar por uns 15 à 20 minutos e desenforme. 
Ligue para aquela amiga querida, convide-a para saborear esse bolo delicioso com você e sirva-o acompanhado de uma xícara de café ou chá de erva-doce!

Bon appétit!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...